Meu último suspiro, Luis Buñuel

Escrito em 1982, quando estava com 82 anos e cinco após dirigir seu último filme, o clássico “Esse obscuro objeto do Desejo“(1977), “Meu último suspiro” pode ser considerado uma despedida autobiográfica do diretor surrealista Luis Buñuel(faleceu um ano depois, em 29 de Julho de 1983 na Cidade do México), que contou com a ajuda do roteirista Jean-Claude Carrière para transformar todas as suas recordações em um ótimo livro.

“(…)Uma vida sem memória não seria uma vida, assim como uma inteligência sem possibilidade de exprimir-se não seria uma inteligência. Nossa memória é nossa coerência, nossa razão, nossa ação, nosso sentimento. Sem ela, não somos nada.” – Luis Buñuel

Nascido Luis Buñuel Portolés, inicia esta biografia descrevendo sua infância na pequena cidade de Calanda, onde nasceu em 22 de fevereiro de 1900. Criado em uma família considerada rica para a região e padrões da época, Buñuel nos conta sua relação com pais, irmãos, escola, amigos, política e religião. O livro se torna excelente exatamente neste ponto, pois vai além das experiências cinematográficas do diretor, que por sí só já seriam interessantes.

Durante sua vida, Buñuel foi assumidamente ateu, e dedica algumas páginas de seu livro explicando o porque do seu ateísmo, a relação com os estudos no colégio jesuíta e a infância também ligada ao catolicismo por conta da cultura tradicional nas pequenas cidades espanholas, que tentava envolver toda a cidade com seus diversos rituais ligados à igreja.

“Sou ateu, graças a Deus” – Luis Buñuel

Expulso do colégio na adolescência, Buñuel completou seus estudos em Zaragoza. Anos depois, foi morar e estudar em Madrid, onde conheceu seus grandes(e também famosos) amigos, como Salvador Dalí(com quem produziu Un Chien Andalou, em 1928), Garcia Lorca, André Breton, Ramón Gómez de la Serna, Pablo Neruda, entre outros. Além de Madrid, viajava constantemente para Paris, onde teve mais contato com o cinema da época e passou a fazer parte do grupo surrealista.

A partir daí “Meu último suspiro” traz divertidas histórias das relações entre Buñuel e seus companheiros surrealistas, suas diversas brigas com Salvador Dali, a quem sempre acusou de egocêntrico, ou com Garcia Lorca, a respeito de sua homossexualidade, além de todas as dificuldades encontradas nas produções de seus filmes, as revoltas contra alguns deles, como o polêmico “A idade do Ouro” ou seu exílio nos Estados Unidos e sua longa vida na Cidade do México, cidade onde realizou a maioria de seus filmes e faleceu em 29 de Julho de 1983.

“Meu último suspiro” de Luis Buñuel é um livro indispensável para aqueles que apreciam sua obra cinematográfica ou simplesmente gostam de uma boa obra auto-biográfica.

Sobre o livro
Autor: Luis Buñuel
Tradução: André Telles
Colaboração: Jean-Claude Carrière
Coedição: Mostra Internacional de Cinema de São Paulo
Idioma: Português
Coleção: Mostra internacional de cinema
Editora: Cosac Naify

Café Cult

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *